Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Arrelia do Quico

Somos todos filhos do Sol e amigos do Ventor

A Arrelia do Quico

Somos todos filhos do Sol e amigos do Ventor

quico.jpg

O Quico continua a observar-nos

Ele eras o mais lindo dos meus amigos. Eras o mais belo companheiro que qualquer pessoa gostaria de ter

 

 

 

 

Hoje tenho outro companheiro, amigo do coração, a que vim a chamar Pilantras.

A tua Dona diz que foste tu e a deusa Bastet que o enviaste para nós. Parece que o nosso amigo Pilantras continua a querer  ser tal  como tu eras.

Eu até acho que foste tu que lhe deste instruções para saber conviver comigo. Em muita coisa são muito parecidos. Pelo menos, tudo indica que sim.

Mas tu adoravas animais e ele não. Nunca me esqueço da tua luta para eu salvar o besouro a afogar na água entre os tronquinhos de banmbu


25.10.10

Exercícios Matinais


Ventor e Quico

Hoje foi mais um dia!

Um dia em que os nossos amigos , os patos reais, se exercitam todas as manhãs para, após momentos de descanso, prosseguirem a sua caminhada.

A luta de todos os dias de um pato, é comer, dormir e tratar da sua performance para estar apto para tudo. Morrer? Logo se vê!

Tu não estás aqui para os ver, mas eles sabem que era aqui que tu sempre estavas a observar os seus exercícios para sua manutenção e sobrevivência.

Há pouco mais de um ano, eu, tu e o Tobias, regozijávamos-nos com as belezas desses voos. Hoje, sinto-me triste quando olho o teu Miradouro vazio mas, às vezes, só, outras vezes com a companhia do Tobias, o nosso amigo melro, continuo a apreciar a beleza, em voo, dos nossos amiguinhos nas suas preparações matinais. Eu daqui da varanda e o Tobias do choupo, continuamos a observar as esquadrilhas dos patos reais a exercitarem-se em voos altos e voos rasantes que até parecem os novos "Asas de Portugal"!

Depois de todas as necessidades básicas, tratar da indumentária e tentar chegar longe e, se possível, regressar a casa ...

Muitos destes novos asas, cansados, pernoitam por aqui e pelos arredores junto daqueles que fazem a manutenção das suas estações de apoio. Depois, alguns exercícios e, ei-los a caminho de outros mundos, rumo a África.

Tal como eles, outros amigos pequeninos, vão cirandando por aqui, alimentando-se nos choupos e entre as ervas verdes para, também eles, estarem em forma para outras caminhadas, fugindo, rumo a sul, aos invernos frios que descerão do norte da Europa. Eles, só vêm à frente!

... Casa? Mas pato tem casa? Ir e vir, vir e ir, enquanto o Senhor da Esfera o permitir. Para isso, a necessidade absoluta é estar apto

Por enquanto, ano após ano, século após século, milénio após milénio, eles partem pelo Outono e regressam na próxima Primavera. Mas nem todos vão e nem todos regressam. Muitos são mortos pelos caminhos da selvajaria, como os patos reais que, pelos seus caminhos, encontram milhares de armas à sua espera. Muitos milhões são abatidos nas caçadas. Só para exemplo, num minúsculo país como Israel, (já aqui disse) são caçados milhões deles. Agora imaginemos como será por todos os outros sítios da sua passagem.

Segundo especialistas que estudam a migração das aves, a tendência é de que, nos próximos anos, os patos reais correm o risco de virem a pertencer ao livro vermelho!

Dentro de tempo indeterminado que pode ser de alguns anitos, eu deixarei de caminhar entre as coisas lindas que o Senhor da Esfera colocou no nosso caminho e, ao atravessar o "Portal", agradecerei ao Senhor por todas estas maravilhas. Mas, penso nas gerações futuras que, provavelmente, nunca irão sentir a alegria de fazerem as suas caminhadas entre tantos amigos.

Apto! Preparado para todo o serviço. isto é, voar! Tal como os aviões, os patos e, de modo geral todas as aves, devem estar técnicamente aptas ...

Muita gente não saberá ainda que os patos dormem com metade do cérebro mantendo a outra metade sempre em estado de alerta. Será que também têm os alertas escalonados em laranja, amarelo e vermelho?

Quando eu te dizia: "vamos dormir"?

Tu dizias-me: "tens de velar por mim porque eu não sou pato! Eu durmo com o meu cérebro encravado a 100%"!

... Quando não o conseguem, só lhes resta ficar! Ficar anichados, algures por aí, esperando a bondade de gentes que os ajudem a mitigar a fome ou, pelo menos, os deixem em paz

O teu Blog, com as tuas arrelias, foi o primeiro. Nasceu, em 25 de Novembro de 2003. Tu adoravas fugir para o computador para eu te mostrar os nossos amiguinhos.

Manterei este blog enquanto poder, nem que seja só para te falar deles a ti e a outros amigos que o queiram visitar.

Hoje, vim cá porque, mais uma vez, sonhei contigo. Andava a caminhar pelas nossas Montanhas Lindas e tu foste ter comigo à Naia. Foste lá ter comigo para salvarmos dois lobinhos pequeninos que precisavam de protecção depois de envenenarem os pais. Que raio de sonho! E tu, já não estás para me acordares com os teus grandes bigodes. Mas, mesmo a sonhar foi uma alegria ver-te brincar com os lobinhos. O Senhor da Esfera lá saberá destas coisas.


O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia

04.10.10

Dia de S. Francisco


Ventor e Quico

Hoje é o teu dia!

Hoje, continuas a caminhar ao lado dos teus amigos, ao lado dos que partiram, ao lado do que ficaram, ao lado deles todos, ao lado de S. Francisco, ... a meu lado!

Os meninos da Maria

Vejam, neste link, em cima, os meninos da Maria no Shutterfly

Gostas dos meus meninos, Ventor?

Não vamos ver aqui, juntos, os meninos lindos da Maria. Tu nunca viste aqui, a meu lado, as fotos da Maria, do novo Gaspar, ... o velho Gaspar foi logo a seguir a ti e eu fiquei sem velhos amigos. Fiquei sem ti, sem o Gaspar, sem o Matias (o nosso "Gaiteiro"), sem o Zé, sem ... tantos amigos!

Agora também já não tenho o Zé a ir buscar bolas para mim, para jogarmos, não tenho o nosso "gaiteirinho", a tocar a corneta nos meus ouvidos, já não tenho muitos dos nossos amigos, alguns que partiram ainda contigo a meu lado, como a Cuca, o Chano, a Tara, ... quase todos nos abandonam!

Por isso, em homenagem a ti e a eles, aqui estou eu, a recordar S. Francisco, a recordar-te a ti, a recordar todos os nossos amigos, mesmo aqueles de muitos anos atrás mas que tu me ouviste falar deles.

Dois dos meninos da Maria

Hoje encontrei duas formigas d'asa! Recordei-me da primeira que vimos aqui na varanda e tu andavas atrás dela com muito jeitinho para não a magoares e eu disse-te: "mata-a, Quico"! Tu olhaste-me nos olhos e até me pareceu que disseste: "mata-a tu"!

Hoje, andei a ver as fotos dos fogos que ameaçaram o teu "Sítio", mas o Senhor da Esfera não quis que os malvados fogos te tocassem. Mas eu já chorei aqui só, a ver uma foto de alguém de Soajo que colocou as minhas árvores queimadas na Net. Nunca imaginei que elas, naquele sítio, corressem esse risco. Aquele belo castanheiro que em 2006 tinha tantas castanhas, tinha as folhas todas enroladas do calor ou ardeu;

O carvalho e o vidoeiro têm as folhas, enroladas e chamascudas, talvez do calor ou arderam mesmo. Não sei que se passsa, mas sei que, no meio delas, está a canecipe verdinha! Será que escapou?

Tu estás aí tão pertinho e eu aqui tão longe, com receio de me meter a caminho só para ver se as minhas lindas árvores resistiram às forças abrasadoras do Inferno. Mas não posso! A minha coluna não me deixa e tenho medo de ter de pedir para me irem buscar.

Mas, mesmo com alguns azares, ainda tenho novos amigos e cada vez mais novos!

Tenho outros amigos, no Lugar do Sol; os cachorrinhos da Maria, que deixo aqui para que os nossos amigos os vejam; tenho toda a descendência da Isabelinha, os patos, o Tobias ... o Pingas Junior, já morreu! Mataram-no! Como tu sabes, os que por aqui vamos andando, sob o Tecto do nosso amigo Apolo, vivemos num mundo devasso, cheio de gente má, de anedotas, de aldrabões, de tristes e que, também, querem ver todos os outros tristes! São uma cambada de facínoras!

Mas, no sábado, enchi-me de coragem e fui até ao Lugar do Sol. Estive com todos os nossos amigos que por lá ainda existem. Já não vi nenhum coelhinho! Andava lá um caçador com cães e espingarda. Depois admiram-se que morram pessoas a estender roupas ou a regar o jardim! Tive vontade de ir ao encontro do gajo e partir-lhe a espingarda na cabeça!

Devias de ver a Maria, tão contente a mostrar-nos os seus filhotes! E, havias de ver, também, o Gaspar a querer apanhar, com os pequenos dentes da frente, as calças ao João. O João fugia e o Gaspar a querer apanha-lo pelas calças, com muito jeitinho para não o ferir. O João gritava que o Gaspar queria mata-lo e o Gaspar estava tão feliz, com o Stick e a Maria a observa-los.

"Vou-te caçar! Mas esses raios dessas calças, parecem a tua pele. Não as apanho"!

"Ah, se dou uma dentadinha pequenina, no rabo do João"! - Diz o Gaspar

Mas sabes? Tenho saudades de te ver deitado, no chão da sala, a meu lado. Tu levantavas-te e olhavas-me, nos olhos, quando eu gritava de dores. Agora isso está a acontecer-me outra vez e estou só, sem ti, sem o Rafinho ...

Hoje, não tenho dúvidas nenhumas que, tal como o S. Francisco, reconheço que, vocês são os melhores amigos.

Mas eu descobri que tu, sem quereres, quase me matavas! Eu ganhei alergia a gatos e a minha médica queria que eu fosse fazer testes e não quis. Eu não queria ver-me livre de ti e agora não posso ter gatos.

Mas a Dona vai dar de comer a um gato coxinho que mia, lá de baixo, a pedir-nos comer. Se calhar foste tu que o mandaste! Tu sabes que a Dona não o deixaria sem comer! E eu, que sentia uma tristeza enorme quando via as tuas latinhas nos Supermercados, agora já as compro para esse teu amigo.

Como João diz: "ah, meu Quiquinho"!


O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia