Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Arrelia do Quico

Somos todos filhos do Sol e amigos do Ventor

A Arrelia do Quico

Somos todos filhos do Sol e amigos do Ventor

quico.jpg

O Quico continua a observar-nos

Ele eras o mais lindo dos meus amigos. Eras o mais belo companheiro que qualquer pessoa gostaria de ter

 

 

 

 

Hoje tenho outro companheiro, amigo do coração, a que vim a chamar Pilantras.

A tua Dona diz que foste tu e a deusa Bastet que o enviaste para nós. Parece que o nosso amigo Pilantras continua a querer  ser tal  como tu eras.

Eu até acho que foste tu que lhe deste instruções para saber conviver comigo. Em muita coisa são muito parecidos. Pelo menos, tudo indica que sim.

Mas tu adoravas animais e ele não. Nunca me esqueço da tua luta para eu salvar o besouro a afogar na água entre os tronquinhos de bambu


Estas são as janelas da Grande Caminhada do Ventor


Sab | 26.05.07

Problemas na Plataforma?

Ventor

Estou danado, mas vou tentar mais uma vez!

Estive a ver o Blog dos Blogs e acho que algo vai mal com todas as belas mudanças que o nosso amigo NetSapinho tem levado de vencida.

Já há alguns dias que tenho estado cheio de problemas a abrir os Blogs e não é do meu Computador, porque só tive esse problema nos Blogs do Sapo. Nem noutros Blogs, nem nos meus Sites do Sapo. Daí a minha afirmação anterior. Se não for, peço desculpa, mas penso que sim.  

Hoje cheguei, abri novamente a minha janela, inspirei este "puro" ar virtual e acho que a coisa está (pelo menos, aparentemente) melhor.

Já tive algumas dificuldades a colocar posts anteriores, mas lá tenho conseguido. Tanto eu como o Ventor já estávamos pelos cabelos. Ele resolveu ir até aos Algarves sem colocar post nenhum e disse-me que não sabia se voltaria a tentar colocar mais algum post na sua caminhada ou se sempre iria passear para outro lado e inspirar novos ares.

O Ventor voltou das lindas terras algarvias, diz ele, e não quis saber disto para nada. Eu fiquei admirado porque sempre que chega de algum lado, ele vem com vontade de escrever alguma coisa sobre as suas últimas caminhadas e, desta vez, nada!

Há dois dias, roubei-lhe umas fotos de poupas (novos amigos e amigas) que ele arranjou lá pelo Algarve e vim aqui para mostrar, a todos, mais uns novos amigos do Ventor. Preparei um post sobre tudo que ele me contou sobre poupas e depois de uma grande trabalheira, quando eu faço click para publicar (numa data posterior), desapareceu tudo. Assim tanbém eu fiquei danado porque jamais farei um texto igual e eu achei aquele bem bonito. Felizmente ainda não tinha colocado as fotos, senão vejam a trabalheira que teria!

Tirava fotos para as "minhas" fotos do Sapo (muitas vezes um castigo para as colocar lá e depois para as tirar de lá) e depois dali para o Blog e depois zás, tudo pela água abaixo!!!! Por isso mandei o post à fava. Agora até estou com medo de que este também vá e o Ventor fique ainda mais danado.

Vamos lá ver. Se ele chegar ao destino, os nossos amigos do NetSapinho terão oportunidade de ficar a saber que isto não é um mar de rosas, muito longe disso. Se não chegar eu terei oportunidade de dizer ao Ventor que faça o que quiser. Colocando de parte estes pequenos problemas que no conjunto são grandes fautores de stress, continuo a pensar que os Blogs do Sapo, quando tudo funciona, são os melhores!

Para não ter muito trabalho e este ser inglório nem uma foto tento colocar.


O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia

Sex | 11.05.07

Ele vai-se embora

Ventor

Amigos, ele deixa-me!

Ele disse-me que se ia embora por pouco tempo, mas eu acho que vai por muito mais. Se calhar vai perfurar as galácticas!

Ele é que vai mas eu é que sofro! Sofro porque fico sem o Ventor e sofro, duplamente, porque ficando sem o Ventor, também fico sem vocês!

Não poderei espreitar pelas vossas janelas, não poderei colocar cortinados novos nas minhas e não sei quando voltarei a ver-vos, porque o Ventor ainda não me disse. Mas sei uma coisa! Ele está preocupado com as minhas ervas e o pior, para mim, é que o gajo sabe como as conservar!

A minha avó vai dar-me ervas todos os dias, porque o Ventor as trouxe para conservar e para eu ter as ervas sempre fresquinhas. Ele gosta de ir apanhar ervas para mim porque assim sempre vai vendo velhos amigos e descobrindo novos, como este.

 

 

Esta beleza, o Ventor nunca tinha visto! Fugia-lhe, mas ele começou a conversar com ele que pousou nesta erva e deixou-lhe tirar 40 fotos!

Há amigos neste mundo que nós nem sonhamos que existem e o Noé deveria ter grandes problemas a catalogá-los para que nenhum faltasse. Eu sei que o Ventor se fartou de o ajudar como com os bichinhos de contas, e muitos outros, mas de alguns, como este, ele nunca me tinha falado!

Olhem as malas do gajo!

 

Estas são as malas do Ventor! Mais parecem os baús do capitão Morgan, mas ele gosta e, nada a fazer!

Acham que vai por muito tempo? Ele não me diz!

Não! Não está virado para Norte, está virado para Sul. Eu até acho que ele nem sabe para que lado ficam os pontos cardeais. Ele gosta de todos por igual!

Talvez um dia ele volte e eu ainda esteja vivo porque eu gostava de vos contar mais histórias do Ventor nos meus Sites! Eu acho que o Ventor não quer saber dos blogs para nada, mas acho que fica contente quando eu conto as histórias da sua Grande Caminhada.

Na sua Grande Caminhada também vão entrar mais estes quatro reguilinhas acinzentados, penudos (ou peludos, por enquanto), filhotes do nosso amigo Pingas. Vejam lá que o Ventor, já lhe tirou algumas seiscentas fotos!

 

 

 

Em cima, uma mãe babada, no meio, uns penudinhos lindos , em baixo, um pai extremoso de boca aberta por causa do calor e eis os autênticos monumentos da Amadora

Mas eu creio que a Grande Caminhada seria linda se fosse contada por ele, porque eu deixo escapar muitas coisas que ele me conta e, depois, esqueço-me. Quem sabe o Ventor um dia vos conte as suas verdadeiras histórias da sua Grande Caminhada melhor que eu!

Para já, estou triste! Por isso deixo um abraço para todos e até qualquer dia.


O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia

Ter | 08.05.07

Os Amigos do Ventor ...

Ventor

... e o Ventor,  não se abandonam.

O ano passado, pela Primavera, o Ventor viu um sardão ou lagarto, na serra da Mira. Pelos fins do Verão, encontrou o esqueleto de um lagarto igual a cerca de 200 metros e o Ventor pensou que perdera para sempre o seu amigo.

Há dias, o Ventor foi dar uma das suas caminhadas, lembrou-se do seu amigo e resolveu passar junto do seu casarão.  Lá estava ele sobre uma pedra a tomar banhos de sol, mas pelo sim pelo não, ele aproveitou bem o raspanete que o Ventor lhe tinha dado o ano passado por se expor tanto tempo perante hipotéticos inimigos. Num ápice sumiu para o interior do casarão.

No regresso, o Ventor voltou por lá e lá estava ele nos seus banhos. Deu oportunidade de o Ventor lhe tirar, com lentidão, cerca de 20 fotos, mas o ventor não via e disparou às cegas. Ele estava sobre a pedra de olhos fitos no Ventor e, se calhar, entretido a ouvir o som da máquina a disparar. Por fim, o Ventor chatiou-se de dar gosto ao dedo por não ver o sardão, pois estava camuflado por trás das ervas verdes e como era um pouco afastado, não via o sardão no ecrã. Das 20 fotos aproveitou 4, o que não foi nada mau, pois servem para nos entretermos, apesar do zoom apanhar as ervas e projecta-las sobre o sardão.

Olhem esta beleza!

Mas o sardão, não está só! Ele tem um vizinho a 200 metros que o Ventor viu ontem. Num ano, o Ventor viu três sardões numa área equivalente a um triângulo com 200 metros de lado. Um vivo, o esqueleto de outro e ontem outro vivo. Um em cada vértice desse triângulo!

Portanto, o Ventor  ontem arranjou outro amigo. O Ventor ia a passar num local, olhou em volta e disse para os seus botões: «um belo local para moradia de mais um lagarto». Nem respirou, pois à sua esquerda, um lagarto igual a este, bem rochochudo, pirava-se para a sua toca. Nem deu tempo para o Ventor lhe apontar a máquina. No regresso passou lá mas não o viu.

Mas trouxe flores, muitas flores! Uma máquina cheia de biliões de bits só de flores! Cpmo estas e muitas outras.

Aqui, o Ventor descobriu o red and white

Nestas flores, uma espécie de estevas (será?), cada flor era um campo de pastagem de miríades de insectos

E assim, a brincar, o Ventor andou Kms, fez ginástica que se fartou! Ah, não? Então experimentem! Se um dia tiverem os problemas que o Ventor tem com a coluna (espero que não), verão como é difícil ficar de gatas para tirar fotos rente ao chão. Foi um sobe e desce desenfreado. Então atrás das borboletas nem imaginem as vezes que ele flectiu os joelhos para lhes tirar fotos e sem conseguir.

Mas até parece que vos estou a contar novidades! O Ventor faz isto quase todos os dias!


O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia