... que perdi o meu Quico.

 

 

Quico sempre atento - o nosso guardião

 

Faz hoje dois anos que, pelas 09:30 horas, arranquei da Amadora com o meu Quico no carro e com destino às minhas Montanhas Lindas. Foi, nesse momento, a decisão que tomei. Levá-lo para longe, onde não fosse muito provável as máquinas desfazer e espartilhar o seu corpinho morto  e que tinha sido tão lindo.

Agora que o seu corpinho de gato muito lindo, já foi transformado em pó, só me restam as memórias da sua presença em várias caminhadas da minha vida. E recordar-me, sempre, que ele foi, entre todos os peludos, o mais belo companheiro de caminhadas que eu tive.

Tive muitos mas, este, foi o único que dormia na mesma cama que nós.

 

 

Sempre pronto para a brincadeira. Era uma beleza o meu Quico

 

Talvez não acreditem mas, na verdade, ele continua a viver comigo pois, são muitas as vezes que caminhamos juntos em sonhos.

 

Haviam músicas que o meu gato gostava, e julgo que esta era a música que ele mais gostava!

 

 

 

 O Quico adorava esta música - Suo Gan, de Anthony Way. Era deste puto que ele gostava!



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


tags:
publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 07:22