O Ventor hoje pediu-me para me dedicar aos bichos.

Para isso, ele disse-me que, como a França é bem maior que nós, é o segundo maior país em território, na Europa, depois da Rússia, eu deveria colocar aqui dois bichos franceses e um bicho português.

Os bichos franceses foram mandados pelo nosso amigo Luis de Paris que andou a brincar com eles, numa terra chamada Vallon - aldeia de Vallon - lá pelo Massiço Central.

Assim, o grilinho que em França fugia a um português, e esta desgraçada desta minhoca que está a ser devorada por um ... por um ... como se chama Ventor?

Ah! ... Escaravelho? Este Ventor sabe tudo!

 

 

 Uma minhoca que vai ser comida por um escaravelho

 

O Ventor disse-me, várias vezes, que o Senhor da Esfera fez o mundo à pressa (6 dias!) e que, por isso, anda meio mundo a comer o outro meio. Até o raio do escaravelho come a desgraçada da minhoca! Mas a Natureza é isto mesmo e, enquanto fôr assim, diz o Ventor que haverá sempre sobreviventes para refazer a história.

 

 

O grilinho francês foge de um "paparasi" portugês

 

Mas acho que este grilinho ao começar a fugir, disse ao português que se lhe fizesse mal, haveria de fazer queixa dele ao Ventor. Todos os bichos conhecem o Ventor! E quase todos são amigos do Ventor. Não se esqueçam que o Ventor também faz parte de uma das metades. Come bichos e, de certeza que, um dia, os bichos o comerão a ele, a mim, a vós!

  

 

Esta aranha disse ao Ventor que o seu amarelo ficava bem no azul da flor da chicória

 

Esta aranha, por exemplo, disse ao Ventor que precisava de comer e estava ali apenas com um objectivo: caçar! Caçar para se alimentar; caçar para sobreviver; e, pediu ao Ventor para se afastar porque, se ele ficasse por ali, estragava-lhe o dia. Se fosse noutros tempos, o Ventor não permitiria que ela fizesse a caçada, mas o Ventor de hoje não tem nada a ver com o Ventor de ontem. Hoje ele acha que não devemos interferir com a Narureza. Se o Senhor da Esfera fez assim o mundo, é assim que nós devemos deixar que ele permaneça.

 

A aranha também disse ao Ventor que se sentia bem no azul da flor da chicória. "Os insectos vêm cá para obesrvarem o seu mundo azul e alimentar-se dele e eu aproveitarei para caçar um, de vez em quando". Tu Ventor, vais ao mercado buscar a alimentação que outros preparam para ti. Outros caçam para ti. Eu tenho de caçar para mim!

Assim ficamos a saber que caçados e caçadores têm de conviver até ao momento final!



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


sinto-me: fugir do mal
música: Longfellow Serenade - Neil Diamond
tags:
publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 23:01