Hoje é mais um dia de S. Francisco de Assis, o meu Amigo e o Amigo do meu Quico, aquele que foi o meu peluche vivo! Aquele com que eu sonhei caminhar por muitos anos mas, infelizmente, só caminhamos, juntos, doze.

Desde Setembro de 2009, o belo gato do Ventor, Francisco, portador do mesmo nome do Santo que tão bem queria às pessoas como aos animais, ficou para sempre, enterrado entre os fetos, nas minhas Montanhas Lindas (nas Fontes), um dos mais belos recintos que eu conheço e com o qual continuo a sonhar pela vida fora, também com os mais belos pôr-do-sol da minha vida, por esta época do ano - o Outono. Um local onde bem merecia ser cantado o Cântico ao Irmão Sol ou o Cântico das Criaturas que o S. Francisco escreveu e, se calhar, também cantou.

 

Hoje, mais uma vez, mas com a ajuda da Wikipédia, vou falar-vos, em jeito de homenagem, deste Santo muito Popular, S. Francisco de Assis. 

 

 

Casa, em Assis, Itália, onde nasceu uma criança a quem deram o nome de Giovanni. Era filho di Pietro di Bernardone e de sua esposa, Pica Bourlemont. (Foto de Tetraktys tirada da Wikipédia. A utilização deste ficheiro é regulada nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada.

 

Hoje, deve ser um padrão de beleza passear por Assis e fazer uma caminhada frente a estes portões por onde, um dia, entrava e saía, essa criança de nome Giovanni, filho de um abastado comerciante de Assis que tudo teria para a época, comparativamente a outras crianças do seu tempo.

 

 
Basílica de S. Francisco, em Assis
 
Também será uma beleza caminhar por esta praça, local por onde, antes dela, caminhou o santo, S. Francisco de Assis.
As basílicas, inferior e superior de Assis, e o Mosteiro franciscano, foram construídas logo após a canonização de S. Francisco. S. Francisco de Assis nasceu em Julho de 1182 e morreu, em 1226. Foi canonizado dois anos depois da sua morte, em 1228.
Logo de seguida, ainda no ano da sua canonização, iniciou-se a construção da sua Basílica que foi concluída em 1253. Hoje, a Basílica de S. Francisco de Assis é um edifício classificado pela UNESCO, como Património MUNDIAL.
 
 
S. Francisco de Assis pintado por Jusepe de Ribera
 
S. Francisco, desbaratou as riquezas de seu pai e abraçou uma vida de pobreza, semelhante à vida pobre que Jesus Cristo tinha levado. A Ordem de S. Francisco, era uma ordem de frades menores, que viviam da caridade. 
 
 
Igreja de S. Francisco de Assis, na India, em Cochim
 
Existem muitas igrejas, espalhadas pelo mundo, em honra de S. Francisco, como esta, em Cochim. Provavelmente por influência dos portugueses.
 
 
 S. Francisco em retiro - Universidade de Toronto
 
S. Francisco, viveu uma vida simples, como traumaturgo, asceta e místico. Ele soube compreender as belezas do mundo na sua íntegra natural, sem esquecer os animais. 
 
 
Igreja de Nossa Senhora do Pátio (?). Um mosaico ilustrando o Cântico ao Irmão Sol ou o Cântico das Criaturas, da autoria de Maria Ludgera Haberstroh
 
S. Francisco, era um amigo da Natureza, e dos animais. Por isso, ele ficou conhecido como o patrono dos animais e do meio ambiente. Ele escreveu o Cântico ao Irmão Sol ou o Cântico das Criaturas.
 
 
O hábito de S. Francisco, remendado de trapos (semelhante às vestimentas das minhas gentes nortenhas, nos meus tempos de criança). Está preservado na Igreja de S. Francisco de Assis. (Foto de Tetraktys tirada da Wikipédia A utilização deste ficheiro é regulada nos termos da licença Creative Commons - Atribuição - Partilha nos Mesmos Termos 3.0 Não Adaptada
 
A capa que S. Francisco usava, que podemos considerar um símbolo da pobreza e que se encontra na sua basílica de Assis.


O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 15:36