Os meus amigos do Lugar do Sol

Podem vê-los aqui.

 

 

 

O Messi e o Gastão, continuam encantados com a presença e as brincadeiras do Ventor

 

 

O meu amigo Rafinho, "o Branco", foi levado pelo Senhor da Esfera, para junto dos seus amigos, Quico e Rafinho "o Preto", ficando todos juntos no meio das estrelinhas

 

Os meus amigos no Lugar de Sol, continuam lindos, com excepção daquele que foi o primeiro deles, o meu amigo Rafinho "Segundo". Branquinho como a neve, no princípio, foi mudando um pouco para uns tons amarelados, mas a vida não lhe correu bem. O Vet não soube tratar dele, não conseguiu e, como calculamos, não deve ser nada fácil e o Senhor da Esfera acabou por o levar.

Deixou-me, como recordação, os belos diálogos que ele e o meu Quico travaram entre si e entre eles e o Ventor.

O Rafinho Primeiro, aquele que foi a minha jóia negra, e me acompanhou por 10 anos, foi uma coisa linda que nunca vou esquecer e, durante quatro anos convivi com essa beleza e com o Quico, o meu belíssimo gato.

 

Quando o Rafinho branco apareceu cá em casa e viu o Quico, foi logo ter com ele e o Quico disse-me logo : "donde apareceu este gajo? Se eu fosse parvo, dizia logo que o nosso Rafinho voltou pintado de branco para me enganar"! E lá continuaram amigos como se nada fosse. Não houve dia que eu fosse ao Lugar do Sol e viesse de lá sem ver esse meu amigo. Bastava falar-lhe e ele aparecia logo a correr ter comigo. Infelizmente, fiquei, há dias, sem esse meu grande amigo.

 

 

Mas o Ventor já tem novos amiguinhos! Eles nasceram no Lugar do Sol, sobre a porta da entrada da casa para, com uma pontinha de sorte, migrarem um dia, para os confins da África, de onde voltarão na próxima Primavera, à terra que os viu nascer, ficando, então, a conhecer a rota dos voos de seus pais

 

 

Esta andorinha que travou, um dia, um grande diálogo com o Ventor, pode muito bem ser o seu papá ou a sua mamã 

 

Mas já arranjei outros amigos (as). As andorinhas!

Apareceram duas no Lugar do Sol e disseram à Dona da casa que o Ventor lhes indicara o caminho para o sucesso. Chegaram, negociaram e construíram a sua bela casa sobre a porta de entrada dos seus senhorios.

"Sabes Tata, o ventor deu-nos a esperança de sermos aqui bem recebidas, por isso pedimos-te para construirmos a nossa casinha sobre a tua porta. Só tens que nos prometer que não nos fazes mal, a nós, nem aos nossos filhotes.

 

E assim tem sido. Lá estavam, há dias, os seus filhotes, de olhos regalados a observar o Ventor. Espero, apenas, que a família Gaspar os deixem em paz se caírem do ninho. Eles vão preparar-se para levarem mensagens do Ventor para os confins da África.

Mas, para o Ventor é sempre uma beleza caminhar pelo Lugar do Sol e observar os seus amigos, como podem ver nas fotos do link verde, em cima, colocadas no Shutterfly.

 

   

Nas suas caminhadas e brincadeiras pelo Lugar do Sol, o Messi e o Gastão, não deixam de pedir ao Ventor para estar, como eles, atento aos espaços abertos, em redor, onde saltitam os coelhos bravos, cantam as perdizes, arrolham as rolas bravas, vindas dos confins de África para animarem o Ventor e para escutar o voo silencioso da coruja, no meio dos arbustos, ali ao lado, a 50 metros

 



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 07:49