Hoje, 16 de Fevereiro de 2008, o Ventor chegou a casa todo encantado pois disse-me que viu a primeira andorinha desta época e fez com que eu não tire, agora, os olhos do céu que observo daqui do meu miradouro. E trouxe também umas bolinhas de doçura a que todos chamam Fofos de Belas!

 

 

O Ventor trouxe uma caixinha de Fofos de Belas

 

O Ventor viu a andorinha junto ao Hospital Amadora-Sintra e, enquanto ele tirava a máquina para fazer o seu disparo, a andorinha sobrevoou a sua cabeça e observou-o bem. Ela não quis colaborar com o Ventor, mas disse-lhe que estava muito cansada!

 

 

Olhem eles a espreitar

 

O Ventor diz que o esvoaçar das primeiras andorinhas sobre a sua cabeça, trazem-lhe um pouco de magia e daí o título deste post. Para além de ser uma novidade, avistar uma andorinha ainda em pleno inverno, isso faz também com que ele fique a pensar nas distâncias pois ele faz 10, 15 ou 20 Kms e, acha-se o maior ao chegar ao fim dessas distâncias com vontade de recomeçar outra.

 

 

Eles aí estão prontos a cumprir a sua missão

 

Mas voocês já viram bem a distãncia que as andorinhas percorrem? Quantas chegarão? Quantas andorinhas do ano passado, criadas aqui junto de nós, fizeram tão grandes viagens de vários milhares de Kms, para lá do Equador e voltaram a fazê-la para cá outra vez? Quantas morrerão nessas viagens e quantas voltarão a olhar o Ventor? Será que as andorinhas são mesmo como os salmões? Vêm procriar no sítio onde nasceram? Será que pais e filhos farão mais que uma, duas viagens?

 

 

Eles pulam e estão inchados de alegria, por bem servirem

 

Quantas viagens farão, sobrevivendo? Vocês já imaginaram as histórias que as andorinhas terão para nos contar? Esta andorinha que o Ventor viu hoje, quase que a fotografou, mas não teve tempo porque ficaram os dois a olharem-se como que surpreendidos um com o outro! Será que o Ventor foi a primeira pessoa que aquela andorinha viu à sua chegada? Ela ficou tão espantada em ver o Ventor que até reduziu a velocidade do voo para o puder observar bem e o Ventor arregalou os olhos para se certificar que estava a ver bem uma das amigas das suas caminhadas.

 

 

Estão encantados porque vão acompanhar os cafés do ventor, da minha dona e da minha avó

 

Depois o Ventor foi de pó-pó até Belas buscar uns fofinhos. Ele pensou: «se não consegui fotografar a fofinha da andorinha, vou pelo menos a Belas buscar os fofinhos Fofos de Belas para fotografar à vontade»!

 

 

Já viram como eles estão todos encantados no desempenho da sua tarefa adoçante

 

Mas o Ventor está cada vez mais maluco! E dali é sempre preciso esperar tudo. Todos os dias fotografa flores ou outra coisa qualquer. Hoje, de manhã, foi fotografar sucalcos e, enquanto fazia click, pensava nos seus grandes sucalcos de Adrão, da Assureira de Bordença, de ... sei lá! 

 

 

O Ventor já deu a sua dentada!

 

Vou pedir-vos uma coisa: não danifiquem os ninhos das andorinhas, porque enquanto houver andorinhas este mundo aguenta-se!



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 21:04