A magda uma grande amiga do Quico e do Ventor, também partiu.

Ficaremos por aqui, mais algum tempo, sem a sua companhia, sem as suas festas, sem o seu miar, ... 

 

«O Senhor da Esfera leva todos, uns após outros, até ao último. Eu sei, porque o Quico me dizia, que o Ventor, um dia, ficaria sozinho e, isso, seriam as regras da vida, a não ser que o Ventor tivesse azar e partisse primeiro. Mas as regras do tempo, têm-se cumprido e o Ventor, um dia, chegará e vai-se fartar de brincar connosco, por muito tempo. 

 

 

 Eu sou a Magda, uma velha amiga do Quico e do Ventor. De todos!

 

«Um dia, o Ventor e o Quico escreveram isto que eu disse:

"Daqui do meu miradouro, vejo sempre chegar o Ventor. Eu sou a mais velha cá da casa. Todos foram chegando depois. A minha mãe era uma gata da rua, preta e muito bonita, foi-me dar à luz na arrecadação dos meus donos. O meu amigo Nhiço que descia pela escada abaixo esperar o seu dono à porta da rua, começou a olhar os seus amigos da rua mais de perto. Como a minha mãe era muito meiga e bonita e tinha também um irmão muito lindo e também preto, o Nhiço pedia ao dono para os deixar subir até casa para comerem do seu comer. Depois conversavam muito e a amizade tornou-se muito grande. Um dia a minha mãe disse ao Nhiço que estava grávida e não sabia onde ir ter os seus filhotes. O Nhiço teve pena dela e disse-lhe para entrar pela janela de bandeira da cave onde o nosso dono tinha a arrecadação e tivesse lá os filhotes. A minha mãe assim fez. Teve ai os seus filhinhos, entre eles, eu. Depois a minha dona ficou muito preocupada comigo e os meus irmãozinhos. À medida que fomos sendo maiorezinhos, a minha dona arranjou donos para todos, mas gostou tanto de mim que ficou comigo. E foi uma grande tristeza, quando demos por falta da minha mãe".

 

Mais tarde, conheci o Quico. O Ventor ia-me buscar a mim e ao Nhiço, lá a casa e nós vínhamos com o Ventor, deitados no Tablier do carro, a olhar as pessoas na rua, ou melhor, as pessoas é que ficavam encantadas connosco e com a paciência do Ventor.

Éramos todos tão felizes!

 

Mas tudo acabou! As Parcas vieram buscar-me e eu fui andando e esperarei do lado de lá do Cosmos por todos vós, especialmente pelo Ventor que, tenho a certeza, quando chegar àquela que foi a minha casa, para visitar o Tomás, a Maria e toda a família, ele irá notar imenso a minha falta e tenho a certeza que, se tiver de ser, lutará por mim, contra os seres das trevas, como fez pelo Quico. Agora, um dia quando o Ventor chegar, vai encontrar-nos todos juntos: eu, o Quico, o Nhiço, o Tomás, o meu gaiteirinho, o Zé, ... todos

 

Espero que, enquanto cá andarem, sejam todos felizes por este Planeta Azul e, que um dia nos voltemos a ver mas, sempre, do lado da Luz»!

 

 

Estarás sempre as espreitar-nos de entre as flores, Magda

 

Veremos Magda e podes crer que tu, tal como todos os filhos do Sol, amigos do Quico, foste mais um Anjinho peludo que o Senhor da Esfera enviou para alegrar o Ventor. A tua casa, vai ficar mais vazia sem a tua presença. De todos os nossos amiguinhos só nos resta a Fifi. A nossa Fifi branquinha.



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 19:38