Agumas belezas que caminham a meu lado

 

 

Os meus amigos no Parque Aventura, vistos do sítio que foi o Miradouro do Quico

 

Este ano tenho outros ovos especiais para vos oferecer a todos, pela Páscoa. Para isso, tive uma ajuda especial dos meus amigos cá do Burgo - a família Pingas! No dia um de Abril, o dia das aldrabices, depois de dar uma pequena caminhada por Miraflores, na companhia de duas águias que acabaram por voltar às árvores do Parque de Monsanto, regressei a casa. Depois, fui fazer uma visita aos meus amigos ... os velhos amigos do Quico - e foi o Tobias que me acompanhou, fazendo de cicerone ou guia, se preferirem, como se eu não conhecesse os cantos à casa. 

Fui ter com o meu amigo Tobias ao riacho e ficou encantado por me ver.

 

"Sabes uma coisa, Ventor" - disse ele - "o Senhor, Pingas, toda a família Pingas anda muito triste, por tu não teres aparecido há tanto tempo". "Por isso, se não te importas, vou levar-te até eles, porque eu prometi que te levava lá. Agora não me deixes ficar mal"!

 

 

 
O Pingas vai galgar a ladeira para chegar junto do Ventor

 

E assim foi! O Tobias desceu esvoaçando e eu lá fui caminhando por onde podia. Quando cheguei, encontrei o Pingas a enxugar-se e a Senhora Pingas no cimo da pequena ladeira. O Pingas disse-me todo encantado por me ver: "olá, Ventor! Ventor!!! Nunca mais apareceste! Eu já tinha feito queixa ao Tobias que tu tinhas desaparecido. Olha o Tobias todo contente! Ele está tão contente como eu! Olha Ventor, vai de volta e vai ter com a minha companheira que já vi que também está contente por te ver e tem lá uma surpresa para ti. Vai enquanto eu arranjo aqui as minhas últimas penas, para ver se arranjo vontade para sair do charco e subir essa ladeira. Já estou velho para essas subidas, mas como tu dizes, agora, daqui para a frente, é só dragões"!

 

Lá fui eu ter com a senhora Pingas. Ela estava toda encantada ao me ver aproximar. Começou logo a dar ao rabinho e a fazer um som muito especial. "Tu, Ventor, tens andado sumido. Tão longe e tão perto, Ventor"!

"Este ano, quem oferece os ovos da Pácoa, sou eu, Ventor! Tenho aqui uns ovos cheia de esperança de criar mais uns filhotes se esta gente me deixar, se fizerem a vida deles e nos deixarem fazer a nossa. Podes fotografá-los e podes enviar para todos os teus amigos, pode ser que, entre eles, haja alguns amigos dos cisnes".

 

 

Entretanto a Senhora Pingas mostra os seus ovos ao Ventor

 

Foi uma beleza conversar com os meus amigos, caminhar a seu lado, ler nos seus olhos as suas esperanças. Como o Tobias que me contou que conseguiu melhor refúgio para poder tratar, com mais descanso, da sua futura prole. Só eu, ele e a madame Tobias é que sabemos onde. Espero que ele seja bem discreto e que tenha uma primavera gloriosa.

 

Mas recebi muitas queixas desta rapaziada. As patas não têm onde pôr os ovos, a Senhora Pingas, foi pô-los, quase no meio do caminho. Pouco faltou. Há lá dois arbustinhos a tentarem dissimular os cinco ovos bem visíveis dos meus amigos Pingas. Já me disseram que a Câmara tem uma biologista a tratar desta rapaziada. Mas, biologista ou não, provàvelmente não percebe nada disto. Terá aprendido, caso seja biologista, que os patos e todos os penudos pôem ovos e isso bastar-lhe-à.

 

 
Só com força se vencem os dragões, diz o Pingas

 

Meus amigos, aproveito este poste, para vos recordar que, na Páscoa, comemos amêndoas, comemos animais, comemos ..., mas também para vos lembrar que temos de saber tratar daqueles que ficam a fazer-nos companhia e a caminhar a nosso lado. Lembrem-se que, sem eles, o mundo nunca prestará. Lembrem-se também que eles também comem e também gostariam que, junto de nós, lhe devemos recriar o mundo que também é deles. É um prazer ver um pato a dar ao rabinho e a conversar com uma criança, connosco. Sim porque eles conversam, ou têm dúvidas disso!?

 

 
A família Pingas feliz, junto do Ventor e dos seus ovos

 

Fiquei muito contente com a alegria deste casal de cisnes e como eles pedem às pessoas, que passam, para não fazerem mal aos seus ovos e se tiverem sorte aos seus filhotes, mais tarde. Eles dão ao rabo na horizontal e olham-nos com olhos brilhantes cheios de uma grande amizade. Porque eles já sabem bem que são as pessoas que lhes dão de comer. Mas tenho a certeza que eles também sabem que, nem todos os que passam, junto deles, são tão puros como eles. Como a besta humana que levantou uma grande pedra e deu com ela na cabeça de uma cisne, que tentava chocar os seus ovos no seu ninho, no Parque Central da Amadora. Foi isso que me disseram. A filha da família Pingas, terá sido morta assim. Eu sei o castigo que lhe dava se o apanhasse e fosse eu o justiceiro cá do Burgo. Mas também não sei se foi assim. Talvez a palavra vá passando, sempre a aumentar pontos. Mas que há gente dessa, eu não tenho dúvidas que há.

 

Boa Pascoa para todos.

 

 



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 14:57