A minha dona está doente mas ela diz que vai ficar boa!

 

 

A minha Dona pediu-me para pôr aqui o hino dos nossos Amigos de Sempre. Se quiserem ouvi-lo terão que ir desligar o altofalante da Rádio Ventor, ao fundo, na coluna da esquerda.

 

 

A minha dona foi operada a uma hérnia lombar, no Hospital

 

 

O Ventor andou por aí a conversar com o Senhor da Esfera e, quando chegou, ela dormia

 

Pediu-me para mandar beijinhos para todos vós, especialmente, para todos aqueles que enviaram e-mails a perguntar por mim, pelo Ventor e por ela.

 

 

Depois tudo seguiu os seus trâmites, até as tostas. Com o Ventor não se pode morrer de fome!

 

Mas eu vou incluir aqui duas amigas de que gostamos muito. A nossa Mouchinha linda, e a nossa bela menina das Caldas. A nossa Kaldinhas!

 

O Ventor e a minha Dona nunca as esquecem e eu nem se fala! Só tenho pena que elas tivessem abandonado os Blogs. Agora ando por aqui quase só e o Ventor diz que os meus Cantinhos são para morrer! Vão morrer os meus cantinhos na Net! Para tudo há um timing e este está a passar! Estão a acabar as caminhadas do Ventor e, sem caminhadas, não há matéria prima, nem para ele, nem para mim.

 

 

A minha Dona ia-se torcendo de dores mas ia sorrindo sempre

 

Mas o Ventor vai deixar-me ficar com o Blog, Vivendo as Memórias, onde penso continuar a falar-vos de nós. De mim, do Ventor, dos seus (nossos) Amigos de Sempre, da minha Dona, de ... sei lá! Mas deste gajo é de esperar tudo! Quando aquela amiga muito especial (a hérnia) lhe dá para brincar e lhe dá dentadas na coluna, ele fica insuportável, até para mim!

 

Mas se o Ventor me deixar, eu irei colocando por aqui parte das minhas Arrelias e elas são tantas que nem vos passa pela cabeça! Eu gostaria que as minhas Arrelias acabassem, mas, infelizmente, isso torna-se impossivel! Cada vez tenho mais, mesmo não falando delas. Por isso, talvez o Ventor me deixe contar por aqui uma ou outra.

 

 

Também queria que o Ventor lhe mostra-se os e-mails dos amigos

 

Aqui, em casa, está tudo doente! Até eu, que o Ventor dizia que era o único que escapava. Agora, já não escapo também!

 

A minha dona teve de ser operada outra vez, e voltou a aparecer-me de "limusines"! Ela adora-me, mas as dores que tem são tantas que até está a perder a paciência para mim! Eu fico a olhar para ela e só me aproximo quando, cheia de pena de mim, faz sinal para me aproximar. Então faço-lhe muitas festas e apetecia-me chorar com ela.

 

 

Mas ela, já está treinada para sofrer e sorrir

 

Está a travar mais uma grande batalha pela sua caminhada. Já tomou banhos de cortisona. Três grandes banhos, pelo menos, em tempos, e está a ver que se aproxima outro terrível, se não houver alternativas. À noite e de manhã são momentos terríveis, quando as dores são campeãs.

 

 

Nunca deixa de sorrir, mesmo quando os amigos não lhe vêm a cara! Olá, Tina e Alex! Ela estava a falar convosco, mas para todos foi assim!

 

Por isso, o Ventor já não tem vontade de fazer caminhadas e cada vez tem menos. Será que o Senhor da Esfera vai deixar a minha Dona ter mais alguns momentos de Paz?

 

Mas pronto!

Para aqueles que não se esquecem de nós, nos seus e-mails, o Ventor manda um grande abraço ou beijinhos e vai respondendo, a minha dona manda beijinhos para todos e eu, ... bem, eu, continuo a ser o mesmo Quico. "Olá, Maralhal"!

 

 

Da sua janela, a minha dona, reparava na passagem do nosso amigo Apolo que lhe enviava beijinhos pelo Ventor

 



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


sinto-me: Triste
música: My City of Ruins
tags:
publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 20:09