Nunca esqueçam!

Nunca esqueçam que neste mundo há muito homem maldoso, muito homem doente! Em vez de fazerem a apologia dos mártires, mais deviam de fazer encomendas de camisas de força. Esse seria o melhor método para segurar os doentes que todas as sociedades exibem.  Mas, em nome da democracia e dos direitos humanos libertam-nos quando eles tudo fazem contra os tais direitos. Não falo apenas dos fautores anónimos do terror mas daqueles que a Justiça, em nome do bom comportamento ou de nada, vão libertando, permitindo-lhe, muitas das vezes, continuarem a levar àvante os seus objectivos pérfidos.

 

 

Hoje comemora-se mais um ano desse terror massificado. E, como animal que sou, em nome dos homens, espero que nunca esqueçam este dia e também que eles continuam por aí! Estes "eles" são homens que não pensam, são máquinas dominadas pelo próprio terror que só o demónio consegue aplicar.

Em nome da liberdade, e pela liberdade, estejam atentos!

 

 

O Ventor tem uma velinha para acender por todos os inocentes que perderam a vida no 11 de Setembro de 2001, nas Torres Gémeas, em new York, bem como em todos os outros locais. E não esqueçamos que foi gente de todo o mundo que morreu às mãos de animais  sem escrúpulos - doentes mentais!



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


tags:
publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 10:51