O meu amigo Nhiço, partiu para sempre. Quando o Ventor tirou esta foto pensou que o Nhiço iria deixar-nos para sempre para bem mais longe que Apolo. Apolo vai e vem e torna a ir e torna a vir, mas o Nhiço, o nosso Xaneco, partiu para muito longe, mas tê-lo-emos sempre no nosso coração.

 

nov,14-tor1.jpg 

 

Tal como o sol, o Nhiço partiu também

 

O Niço morreu hoje no Hospital Veterinário do Restelo onde passou os seus últimos dias. O Ventor ainda o viu ontem à noite. A dona do Nhiço ainda lhe foi levar um cascol para ele sentir a sua presença. Foi o rins que deu cabo dele. Agora só nos resta sentirmos que tudo o que foi humanamente possível fazer por ele, foi feito. Nem queiram saber como o Ventor está triste pela morte do nosso amigo. Ele ao partir do Hospital disse que nunca mais iria ter o Nhiço a recebê-lo à entrada da porta como, anos atrás, ele e a Cuca sempre fizeram, e actualmente ele e o Zé faziam.

 

 

Agora só resta o Zé, o tal que foi tirado da rua "das amarguras", tal como eu. Amanhã o Ventor vai ajudar a enterrar o nosso amigo Nhiço, no Quintal da família. Vai ficar ao lado da Cuca e do Tomás (para quem não ouviu falar deles, estão neste blog), à sombra das nogueiras. E assim, nós sabemos que eles estão ali. A mim, só me resta acompanhar o Ventor na sua tristeza.



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


tags:
publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 00:00