O Ventor anda aqui com uma cartilha verde na mão. Verde, isso mesmo! Se fosse vermelha estava safo. Já sei que me vai levar a um gajo vestido de branco para me fazer um furo no casaco. Depois, para me levar, diz-me que quantos mais furos tiver, mais anos andamos juntos. Mas eu não vou nessa. Não quero o meu casaquinho estragado! Alguém me ensina um truque para fugir do Ventor? Um truque assim: «como fugir de amigos indesejados». Há dias assim! E hoje, para mim é um deles. Alguém sabe um truque ou não?

 

Também se soubessem, com estas manápulas do Ventor nunca me safo. Se o Bush tivesse umas manápulas assim já tinha apanhado o Bin... Bin... não me recordo do nome. Quando não me recordo este gajo diz-me, mas hoje não me apetece perguntar-lhe nada. Vou sair. Vai começar a tucata e fuga ... Porque não vai ele ao Veterinário? Anda aqui com um dente inflamado parece um hamster!



O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 11:00