Francisco era o teu nome e hoje é o teu dia!

Eras o nosso Quico!

 

 
S. Francisco
 
Tu eras o  Quico, eu sou o Pilantras!
Sou Francisco como tu. O Ventor chama-me, Quico Pilantras.
Há pouco, eu e o Ventor estávamos a ver a televisão e vimos que o Papa Francisco foi cumprimentar o S. Francisco, a Assis, onde se encontra a sua Igreja e agradecer-lhe por Ele lhe ter deixado "roubar" o seu nome.
 
 
Uma beleza chamada Francisco ou, se preferirem, Quico
 
Achei piada essa do "roubo" e o Ventor disse-me que, queiramos, ou não, somos todos uma cambada de gatunos. Roubamos nomes, roubamos vidas, roubamos glórias, ... e, espalhamos tristezas.
Tristezas como aquela que o Papa Francisco disse ser hoje um dia de lágrimas. Lágrimas por aqueles desgraçados que, fugindo à fome, das suas terras africanas, vieram morrer afogados junto a Lamplusa quando a esperança começava a despontar no horizonte.
 
Gostei de ouvir o Papa Francisco dizer: "deixem voar as loiças mas, não deixem que o dia chegue ao fim sem fazerem as pazes"!
 
 
Adoro as papariquices da minha Donas e do Ventor. Mas que mania ele tem de apontar sempre aquela coisa para a gente!
 
Pelo que o Ventor me diz, nós iríamos gostar muito de vivermos os quatro juntos Quico. Sabes que eu já caminho como tu pela Net e pela televisão e já estou a gostar disto tudo com o Ventor e a nossa Dona? Uma noite destas estive com o Ventor a vermos a destruição do mundo e o Ventor disse à nossa Dona que eu parecia perceber tudo porque não tirava os olhos da Televisão.
 
Ainda um dia estaremos todos juntos Quico. Eu, tu, o Ventor e a nossa Dona. Tal como tu, já caminhei por Assis!
Hoje, é o teu dia, o nosso dia e, por ser o teu dia, o nosso dia, cá estamos, eu, o Ventor, a nossa Dona, o Papa Francisco, com S. Francisco neste lindo dia de todos os animais. Até sempre Quico. Tu nem imaginas como o Ventor e a nossa dosna são teus amigo.
 
 
O melhor é desviar os meus olhos!
 


O Quico também sonhou ao lado do Ventor. A vida solitária e nefasta dos seus amigos que observava do seu Miradouro, foi sempre, a sua grande arrelia


publicado por Quico, Ventor e Pilantras às 22:13